ADECO: As novas tarifas dos transportes urbanos são um absurdo

Esta segunda-feira, 15 de Maio, entraram em vigor as novas tarifas relativas aos Transportes Colectivos Urbanos de Passageiros (TCUP) propostas pela Agência de Regulação Económica (ARE) em Cabo Verde. Com um aumento, na cidade da Praia de 40$00 para 41$00 e no Mindelo de 38$00 para 40$00.

 


Para o Presidente da Associação de Defesa do Consumidor (ADECO), António Silva, as novas tarifas dos Transportes Colectivos Urbanos de Passageiros são um absurdo e o mesmo considera que “sendo a ARE a responsável pela subida dos preços, tendo em conta a realidade do nosso país, que tenham a responsabilidade de averiguar se a subida dessas tarifas trará ou não algum constrangimento ou foco de conflitos às pessoas afectadas”.


Conforme nos adiantou António Silva, as novas tarifas dos Transportes Colectivos Urbanos de Passageiros são uma decisão que deveria passar pelo Conselho Consultivo da Agência de Regulação Económica e não foi o que aconteceu, e considera que “o Governo de Cabo Verde é incapaz de colocar um Conselho Consultivo numa Agência Reguladora que se diz independente de funcionar! Isto é extremamente grave”.


De um estudo realizado, António Silva avança que a ARE tem tido um desempenho muito “mau” e aponta essa responsabilidade ao Governo de Cabo Verde por não colocar um Conselho Consultivo numa Agência Reguladora Económica.

O presidente da ADECO afirma que o aumento da tarifa dos Transportes Públicos Urbanos gera duas repercussões: uma económica e outra social e realça que “a dimensão económica incide em saber se o preço é justo ou não e a dimensão social na garantia que a empresa está a funcionar de forma eficaz e eficiente no sentido de criar condições para que os mais desfavorecidos da sociedade possam também utilizar esses serviços”.


Para concluir, António Silva diz que analisando as tarifas actuais, quem sofre mais são as classes menos favorecidas que gastam 30 por cento do salário mínimo e questiona: “como é que o Estado permite que só em Transporte Colectivo Urbano Público se gaste 30 por cento do próprio salário? Como é que vão pagar os cuidados da saúde, beber e pagar as suas contas?”.


Categoria:Noticias

Deixe seu Comentário