Ciclista afegão recorre zonas rurais para conscientizar população sobre coronavírus

Até a chegada de bicicleta de Idrees, havia lugares em que as pessoas nunca tinham ouvido o termo "Covid-19" ou tido qualquer noção de distanciamento social.

O ciclista afegão Idrees Syawash, de 27 anos, conversa com os moradores durante sua campanha de conscientização contra o coronavírus Covid-19 no distrito de Surkh Rod, na província de Nangarhar Noorullah Shirzada/AFP O ciclista afegão Idrees Syawash está decidido a ajudar a achatar a curva de infecções por coronavírus em seu país e o faz na base da pedalada, recorrendo zonas rurais para incentivar a população a usar máscaras e lavar as mãos. "Quando o coronavírus chegou ao Afeganistão fui a vários vilarejos e vi que muitas pessoas não tinham nenhuma consciência disso", relata à AFP este jovem de 27 anos, que viajou esta semana com sua bicicleta pela província de Nangarhar, no leste do país. "Decidi usar minha bicicleta para fazer uma campanha de lugar em lugar", explica. O Afeganistão notificou seu primeiro caso oficial de Covid-19 em fevereiro na cidade de Herat, no oeste do país.

Atualmente, são mais de 8.600 infecções confirmadas, com Cabul como epicentro. As autoridades impuseram um confinamento nacional em março, mas isso não impediu Idrees Syawash a se lançar numa aventura para lutar contra a doença com suas mensagens de conscientização. Ele recebeu o aval das autoridades para organizar esta campanha, chegando até a se reunir com o governador da província de Nangarhar. "O governo local está me apoiando, porque estou fazendo este trabalho por uma boa causa", diz. Não é a primeira campanha que Idrees realiza montado em sua bicicleta.

Antes, também pedalou pelo Afeganistão para ampliar as possibilidades educativas no país. Desta vez, visitou mais de 120 vilarejos, alguns em zonas perigosas, percorrendo cerca de mil quilômetros. Sua bicicleta azul tem um cesta acoplada à traseira, na qual transporta folhetos que distribui à população.

Nestes folhetos há informações e conselhos sobre higiene pessoal, que ajudam contra a propagação do vírus. Vestindo um traje protetor branco, luvas e máscara, Idrees para nas ruas ou praças dos vilarejos para conversar com os habitantes, sempre respeitando a distância de segurança de dois metros. Idrees Syawash fala com moradores durante campanha de conscientização contra o coronavírus no distrito de Surkh Rod Noorullah Shirzada/AFP Lugares remotos As crianças correm atrás de sua bicicleta, atraídos pelo peculiar visitante, e recebem uma aula de como lavar as mãos por 20 segundos. "Eles não sabem, são pequenos, são inocentes", sorri Idrees. A campanha levou o ciclista a algumas zonas remotas do Afeganistão, onde não há eletricidade ou internet.

Muito habitantes sequer sabiam que o coronavírus existia, relata. As autoridades sanitárias consideram que o maior objetivo para o Afeganistão é convencer a população de que o vírus é real e perigoso. Em Nangarhar, até a chegada de bicicleta de Idrees, havia lugares em que as pessoas nunca tinham ouvido o termo "Covid-19" ou tido qualquer noção de distanciamento social. "A gente estava se abraçando, sentando juntos", conta Rahim Gul, um habitante local, informado agora por um dos folhetos com recomendações sanitárias. A família de Idrees está preocupada com a possibilidade de que sua aventura o faça contrair o vírus. "Mas isso não fará com que eu deixe de ajudar as pessoas a aprender sobre a doença e sobre as maneiras de se manter a salvo", garante. Initial plugin text
Categoria:Mundo